6 de fev de 2011

Faça as PAZES com a BALANÇA!


Devido ao grande número de injustiças que este valioso instrumento de trabalho recebe diariamente, resolvemos tomar partido e advogar em sua causa. Se existe algo utilizado em uma academia mais ultrajado do que a bendita balança não conhecemos. Sua situação dava até nome de novela mexicana “A Injustiçada”! Basta ficar apenas alguns minutos ao seu lado, para ouvir a cada sobe e desce a quantidade de xingamentos que sofre a pobre coitada. Ficamos imaginando como seria engraçado se ela pudesse se defender... Seria mais ou menos assim: você aqui de novo? Para de subir em mim, não agüento mais! Calibraram-me essa semana, tem certeza que estou quebrada? Ai meu deus, pra quê se pesar antes e depois do treino? 

Antes que alguém fique “ressentido”, não temos dúvidas de que a balança é uma boa invenção. Quando vamos ao supermercado ou à padaria ela é um item indispensável, mas se você está empenhado na prática de algum treinamento físico e segue orientação nutricional – GARANTO - a precisão que você espera dela pode ser desanimadora. Quando o assunto é o seu corpo, ou melhor, a sua composição corporal a balança é falha! A composição corporal avaliada por meio de diferentes técnicas estima o percentual de gordura e a massa livre da mesma, constituída por músculos, tecidos, órgãos e massa óssea. O peso que vemos ao subir na balança reflete o peso corporal total ou absoluto, mas não mostra se emagrecemos ou engordamos.
 Pessoas saudáveis que buscam uma melhoria estética devem utilizar o seu peso relativo, que leva em conta a quantidade de gordura (%) ganha ou perdida ao longo de determinado período. Esse sim deve ser o parâmetro utilizado por indivíduos engajados em um programa nutricional e de treinamento. Pesar-se uma vez na balança para acompanhar um “suposto” progresso em seus resultados é um número compreensivo, mas saiba que diversos motivos podem alterar seu peso absoluto, mesmo não tendo engordado. Alguns deles são: aumento de massa muscular e óssea; possíveis retenções hídricas em períodos menstruais, ou em virtude de deslizes na alimentação e ingestão de bebidas alcoólicas; a hora que nos pesamos, pois o peso varia ao longo do dia; pesar-se em balanças diferentes; utilizar roupas pesadas e acessórios no momento da pesagem, entre outros.

Faça as pazes!
Pesar-se varias vezes ao longo do dia e da semana, gera mais estresse do que ganhos. Culpar a balança quando o maior “culpado” é você, não fará com que os resultados apareçam. Lembre-se a única pessoa que pode mudar esta situação é você! Treinar sem um objetivo estabelecido e sem saber como esta sua composição corporal fará com que você treine as cegas. Por isso, realizar uma avaliação física, uma consulta nutricional, criar uma data para verificar as mudanças, desafiar-se em torno de um objetivo tangível fará seu treino bem mais motivante e as chances de sucesso serão bem maiores. A partir de agora faça as pazes com a balança e use-a com moderação.





Nenhum comentário:

Postar um comentário