28 de mai de 2011

GRAVIDEZ e Atividade Física.

É cada vez mais comum encontrarmos gestantes praticando alguma atividade física, mas as dúvidas e a desinformação, quanto à segurança desse novo comportamento, ainda persistem. Quais as restrições a sua prática? Quais são as atividades indicadas? Riscos? Benefícios? Nós da MAIS fomos buscar essas respostas, para que você fique tranquila e pratique atividade física com segurança no período gestacional.
Antes de iniciar qualquer atividade física a mulher grávida deve passar por um cardiologista ou clínico, logo após do encaminhamento de seu obstetra. Desta forma, procura-se verificar possíveis sinais e sintomas de risco, que serão avaliados mês a mês, durante os três trimestres. Desde que respeitada às contraindicações absolutas e relativas (lista abaixo), às mulheres DEVEM e PODEM se exercitar em intensidades de moderadas a leves, com o objetivo de melhorar sua saúde. Esse exercício deverá ser regular (3X por semana ou mais), evitando intervalos demasiados entre os treinos.

Contraindicações Absolutas:

  • doença cardíaca hemôdinamica significante;
  • doença pulmonar restritiva;
  • Cérvix imcompleta;
  • Gestação múltipla;
  • Risco de parto prematuro;
  • Sangramento persistente no segundo e terceitro trimestre;
  • Placenta prévia após 26 semanas de gestação;
  • Parto prematuro;
  • ruptura de membrana;
  • Pré-eclâmpsia /hipertensão indiuzida pela gravidez.

          Contraindicações Relativas:
  • Anemia severa;
  • Arritmia cardíaca;
  • Bronquite crônica;
  • diabetes tipo I mal controlada;
  • Obesidade mórbida;
  • Baixo peso extremo (IMC <12);
  • Histórico de sedentarismo extremo;
  • Restrição de crescimento intra-uterino;
  • Hipertensão mal controlada;
  • Limitação ortopédica;
  • Fumante inveterada;
  • Hiperiroldismo mal controlado.
A prescrição/acompanhamento de exercícios deve ser feita por um profissional de educação física devidamente habilitado e atualizado no tema, visto que durante a gestação a mulher é enquadrada em grupo de risco, tais quais os diabéticos, cardíacos e renais, por exemplo. No entanto, não existe “a melhor atividade”, ou a que traz mais benefícios, a recomendação é priorizar atividades que minimizam os riscos de trauma e desequilíbrio, como a natação, bicicleta estacionária, hidroginástica, treino aeróbio leve, treinamento de força, entre outras. Esportes ou atividades de contato e alto impacto devem ser desencorajadas. Além do médico e profissional de educação física, um nutricionista deve fazer parte da equipe multidisciplinar que acompanha a gestante, pois a energia gasta no exercício requer ajustes adicionais a dieta, além dos habituais necessários a gestação.

Veja algumas recomendações devem ser seguidas no período gestacional:
  • Grávidas ativas devem permanecer na mesma atividade diminuindo a intensidade e volume;
  • Em mulheres grávidas sedentárias, o programa de exercício deve ter início a partir do 2º trimestre uma vez que existe a possibilidade de ocorrência de hipertermia materna;
  • Evitar treinos em frequência cardíaca acima de 140 bpm;
  • Evitar as contrações isométricas máximas e manobra de valsava (prender excessivamente a respiração durante a execução da atividade);
  • Não realizar exercícios na posição supina (deitada sobre a barriga);
  • Hidratar-se bem, usar roupas adequadas e não realizar exercícios em ambientes quentes, e piscinas muito aquecidas;
  • Interromper imediatamente ou não iniciar a a prática esportiva se surgirem sintomas como dor abdominal, cólicas, sangramento vaginal, tontura, náusea ou vômito, vertigem, fraqueza muscular, diminuição dos movimentos fetais, dor peitoral, dor na perna ou inchaço, vazamento de líquido amniótico, palpitações e distúrbios visuais.
Alguns benefícios dos Exercícios Físicos:
  • Maior consumo energético da mãe (controlando o peso);
  • Melhora da auto-estima, o humor e maior recuperação da forma física pós exercício (em torno de 50% dos casos);
  • Reduz certos desconfortos da gravidez e necessidade de medicamentos;
  • Em mulheres preparadas fisicamente, o tempo de expulsão é mais curto, cerca de 1/3 mais rápido;
  • Mulheres que se exercitam na gravidez mostram-se mais equilibradas emocionalmente durante o momento do parto.
  • O exercício fortalece e torna o útero mais elástico;
  • Ameniza as dores do parto.
            Como se vê, a importância da prática de atividade física durante a gestação tem sido estudada e tem sido documenta por diversas instituições, que em sua maioria concluem que quando bem indicada, a prática de atividade física, moderada a leve, controlada e orientada pode produzir efeitos benéficos sobre a saúde da gestante e do feto.
Agora que você esta ciente dos benefícios do exercício à gestante e planeja ser mãe, comece o quanto antes uma atividade física.  É a MAIS, promovendo saúde. Bons treinos!




Texto Anderson Santos e Tony Aguiar, personais MAIS.

22 de mai de 2011

A importância de uma boa HIDRATAÇÃO!


Normalmente as pessoas costumam subestimar a importância da água nas suas dietas, provavelmente pelo fato da mesma não fornecer energia como carboidratos e gorduras. Por esse motivo, resolvemos chamar a atenção para o tema e sua influência nos resultados do treinamento aeróbio e de musculação. A água é primordial ao corpo, sendo nosso organismo composto por 70% dela. Na nutrição, está bem hidratado possibilita uma melhor digestão, absorção, transporte e utilização de nutrientes essenciais, além de ser o meio onde ocorrem todas as reações energéticas que geram combustível e resistência para o nosso corpo.
Se seu objetivo é ganhar massa muscular ou aumentar seu condicionamento durante a corrida, trate de ingerir um pouco mais de líquidos! Em um organismo bem hidratado a síntese de proteínas é estimulada e a degradação diminuída. Por outro lado, a desidratação celular provoca a degradação e inibe a síntese protéica. Quando há escassez de água ou eletrólitos a força e o controle muscular enfraquecem. Estudos mostram que por menor que seja a deficiência de água, em torno de 2 a 4% do peso corporal, a produtividade do treinamento de força poderá ser reduzida em até 21% e a resistência aeróbia em até 48%, prejudicando e muito o desempenho e os resultados. Além disso, a água atua na regulação da temperatura corpórea, na queima de gordura, (se o organismo estiver devidamente hidratado, o fígado consegue realizar a tarefa de mobilizar gordura armazenada para obter energia), na eliminação das substâncias tóxicas oriundas do metabolismo das proteínas e gorduras e na lubrificação das articulações.
A reposição apropriada de líquidos antes, durante e após exercícios intensos, especialmente em ambientes quentes, é amplamente aconselhada como o primeiro passo preventivo na redução do risco de danos ao organismo. Portanto, inserir intervalos regulares para a reposição de líquidos deve fazer parte do seu treinamento. Uma boa sugestão é beber de 1 a 2 copos momentos antes de começar o exercício, 1 copo a cada 10 a 20 minutos durante o exercício. Em exercícios que demorem mais de 50 minutos tome líquidos com carboidrato durante a atividade (água de coco ou bebida esportiva, por exemplo) e de 2 a 3 copos após o término do exercício. Deve-se dar uma atenção especial aos dias muito quentes ou muito frios, pois está ingestão deverá ser aumentada.

Passe a valorizar o consumo de líquidos durante os exercícios e não deixe que a má hidratação atrapalhe seu desempenho. Bom treinos!



Texto escrito por Izabel Oliveira,
 estudante do último ano de Nutrição da UFPE. 
Twitter: @nutricacaomais








14 de mai de 2011

Modismo X Suplementos: COMBINAÇÃO PERIGOSA!

Antes de iniciarmos esse texto, deixaremos bem claro que não somos caretas ou conservadores em relação a suplementos esportivos e vitamínicos. Antes de qualquer coisa, somos profissionais que se preocupam com a saúde de nossos leitores, clientes e amigos que praticam os diferentes esportes, em especial a musculação. Acreditamos que os suplementos com comprovação científica e prescritos por um nutricionista qualificado, podem melhorar o desempenho e os resultados. Em contrapartida, não podemos nos omitir diante o uso indiscriminado e a desinformação que cercam o uso de tais “produtos” , em grande parte importados e de procedência duvidosa, que são utilizados e se disseminam como uma praga dentro dos centros esportivos.
A indústria de suplementos e o questionamento sobre o real efeito dos resultados já foi abordado aqui (http://br4.in/DskIg), mas desta vez falaremos da questão da possível contaminação destes produtos. Contaminação é a presença de substâncias que estão presentes nos compostos, mas que não foram descritas no rótulo. Para sermos mais específicos, nos preocuparemos com a contaminação por substâncias proibidas em nossa legislação, como fármacos estimulantes, hormônios e outras consideradas doping pelo comitê olímpico internacional (COI). Os famosos pré-hormonais encontrados em diversos suplementos são considerados doping pelo COI, e tem eficácia e segurança não estabelecida, entre os quais a androsteniona (andro), a dehidroepiandrosterona (DHEA) e o androstenediona,  ou a combinação desses, facilmente encontrados em diversos rótulos de suplementos importados, pois tem comercialização permitida nos Estados Unidos.  O próprio COI em 2000/2001 revelou que 15% de 634 amostras continham alguma substância considerada doping. No Brasil, um estudo realizado por órgão ligado ao governo de São Paulo analisou 111 amostras, onde 25% apresentavam esteróides anabolizantes (veja  na figura abaixo).

Similares de testosterona encontrados nos suplementos.
A popularização e o fácil acesso aos suplementos, via lojas, importação ilegal e internet, camuflam os riscos do consumo de substâncias nocivas a sua saúde. Esses achados são assustadores e mostram que se você usou mais de quatro suplementos de origem duvidosa, estatisticamente pelo menos um deles poderia conter esteróides anabólicos, possibilitando o aparecimento dos prejuízos descritos para este tipo de medicamento (VEJA matéria do JORNAL HOJE no portal da globo). Acreditamos que os profissionais de educação física, nutricionistas e demais profissionais de saúde devem intensificar uma campanha de conscientização quanto a uso indiscriminado de suplementos esportivos. Felizmente, estudiosos tem dado mais atenção a busca de contaminação dos suplementos por drogas de uso controlado, como anabolizante, estimulantes, similares de sibutramina, entre outros. Logo, fique atento e não aceite “dicas” de praticantes mais “experientes”, maus profissionais, que não sejam nutricionistas ou médicos habilitados e desfrute dos benefícios de uma dieta equilibrada as suas necessidades e um bom treino!



Texto escrito pelo Educador Físico Anderson Santos, Personal da Mais Atividade Física.