28 de mai de 2011

GRAVIDEZ e Atividade Física.

É cada vez mais comum encontrarmos gestantes praticando alguma atividade física, mas as dúvidas e a desinformação, quanto à segurança desse novo comportamento, ainda persistem. Quais as restrições a sua prática? Quais são as atividades indicadas? Riscos? Benefícios? Nós da MAIS fomos buscar essas respostas, para que você fique tranquila e pratique atividade física com segurança no período gestacional.
Antes de iniciar qualquer atividade física a mulher grávida deve passar por um cardiologista ou clínico, logo após do encaminhamento de seu obstetra. Desta forma, procura-se verificar possíveis sinais e sintomas de risco, que serão avaliados mês a mês, durante os três trimestres. Desde que respeitada às contraindicações absolutas e relativas (lista abaixo), às mulheres DEVEM e PODEM se exercitar em intensidades de moderadas a leves, com o objetivo de melhorar sua saúde. Esse exercício deverá ser regular (3X por semana ou mais), evitando intervalos demasiados entre os treinos.

Contraindicações Absolutas:

  • doença cardíaca hemôdinamica significante;
  • doença pulmonar restritiva;
  • Cérvix imcompleta;
  • Gestação múltipla;
  • Risco de parto prematuro;
  • Sangramento persistente no segundo e terceitro trimestre;
  • Placenta prévia após 26 semanas de gestação;
  • Parto prematuro;
  • ruptura de membrana;
  • Pré-eclâmpsia /hipertensão indiuzida pela gravidez.

          Contraindicações Relativas:
  • Anemia severa;
  • Arritmia cardíaca;
  • Bronquite crônica;
  • diabetes tipo I mal controlada;
  • Obesidade mórbida;
  • Baixo peso extremo (IMC <12);
  • Histórico de sedentarismo extremo;
  • Restrição de crescimento intra-uterino;
  • Hipertensão mal controlada;
  • Limitação ortopédica;
  • Fumante inveterada;
  • Hiperiroldismo mal controlado.
A prescrição/acompanhamento de exercícios deve ser feita por um profissional de educação física devidamente habilitado e atualizado no tema, visto que durante a gestação a mulher é enquadrada em grupo de risco, tais quais os diabéticos, cardíacos e renais, por exemplo. No entanto, não existe “a melhor atividade”, ou a que traz mais benefícios, a recomendação é priorizar atividades que minimizam os riscos de trauma e desequilíbrio, como a natação, bicicleta estacionária, hidroginástica, treino aeróbio leve, treinamento de força, entre outras. Esportes ou atividades de contato e alto impacto devem ser desencorajadas. Além do médico e profissional de educação física, um nutricionista deve fazer parte da equipe multidisciplinar que acompanha a gestante, pois a energia gasta no exercício requer ajustes adicionais a dieta, além dos habituais necessários a gestação.

Veja algumas recomendações devem ser seguidas no período gestacional:
  • Grávidas ativas devem permanecer na mesma atividade diminuindo a intensidade e volume;
  • Em mulheres grávidas sedentárias, o programa de exercício deve ter início a partir do 2º trimestre uma vez que existe a possibilidade de ocorrência de hipertermia materna;
  • Evitar treinos em frequência cardíaca acima de 140 bpm;
  • Evitar as contrações isométricas máximas e manobra de valsava (prender excessivamente a respiração durante a execução da atividade);
  • Não realizar exercícios na posição supina (deitada sobre a barriga);
  • Hidratar-se bem, usar roupas adequadas e não realizar exercícios em ambientes quentes, e piscinas muito aquecidas;
  • Interromper imediatamente ou não iniciar a a prática esportiva se surgirem sintomas como dor abdominal, cólicas, sangramento vaginal, tontura, náusea ou vômito, vertigem, fraqueza muscular, diminuição dos movimentos fetais, dor peitoral, dor na perna ou inchaço, vazamento de líquido amniótico, palpitações e distúrbios visuais.
Alguns benefícios dos Exercícios Físicos:
  • Maior consumo energético da mãe (controlando o peso);
  • Melhora da auto-estima, o humor e maior recuperação da forma física pós exercício (em torno de 50% dos casos);
  • Reduz certos desconfortos da gravidez e necessidade de medicamentos;
  • Em mulheres preparadas fisicamente, o tempo de expulsão é mais curto, cerca de 1/3 mais rápido;
  • Mulheres que se exercitam na gravidez mostram-se mais equilibradas emocionalmente durante o momento do parto.
  • O exercício fortalece e torna o útero mais elástico;
  • Ameniza as dores do parto.
            Como se vê, a importância da prática de atividade física durante a gestação tem sido estudada e tem sido documenta por diversas instituições, que em sua maioria concluem que quando bem indicada, a prática de atividade física, moderada a leve, controlada e orientada pode produzir efeitos benéficos sobre a saúde da gestante e do feto.
Agora que você esta ciente dos benefícios do exercício à gestante e planeja ser mãe, comece o quanto antes uma atividade física.  É a MAIS, promovendo saúde. Bons treinos!




Texto Anderson Santos e Tony Aguiar, personais MAIS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário