7 de jul de 2012

A importância do SONO e suas implicações.


Cuidado como você e seus filhos andam dormindo... pois o sono é uma necessidade humana básica, que se caracteriza por um período de repouso onde temos  necessidade de descansar mental e fisicamente. É neste momento que ocorrem vários processos metabólicos que, porventura alterados,  pode afetar o equilíbrio de todo o organismo.
  Quando falamos de sono, identificamos dois estados distintos: 
1- O sono REM, conhecido como o sono rápido. Nele é possível haver restauração de funções cognitivas e hormônios que controlam o metabolismo dos carboidratos e o apetite.
2- O N-REM é conhecido como sono profundo. É caracterizado por haver uma diminuição nos batimentos do coração e relaxamento muscular. Essas fases se alternam durante toda a noite e sua interrupção pode afetar alguns processos metabólicos importantes para o crescimento e emagrecimento.

FATORES QUE INTERFEREM O SONO:
   Os horários escolares, trabalho, hábitos alimentares inadequados, maior parte do tempo em frente ao computador e TV, favorecem para uma redução na quantidade de horas dormidas. Estudos afirmam que adolescentes que dormem menos de 6 horas por dia ou mais de 9 horas tem uma grande chance de sofrer insônia, hipertensão, obesidade, entre outras doenças. Outros estudos que correlacionam dormir pouco e o aumento do índice de massa corporal (IMC), ocasionando problemas no padrão do sono e a obesidade.
 O sono está associado a dois comportamentos endócrinos, que são capazes de alterar significativamente a ingestão de alimentos. Um deles esta ligado ao hormônio LEPTINA, que regula a ingestão de alimentos e controle da sensação de saciedade. Pessoas que ficam muito tempo acordadas possuem menores taxas de leptina no sangue, consequentemente, sentem necessidade de comer mais carboidratos (doces, biscoitos e salgados), e o pior, optam por alimentos de maior valor calórico. Esse comportamento foi comprovado no estudo conduzido por Spiegel e Van Cauter (2004), que demonstraram que pessoas que ficavam mais tempo acordado optavam por alimentos mais calóricos, 12% a mais do que os que dormiam dentro dos padrões exigidos, enquanto o desejo de se alimentar com frutas e vegetais quase não foram encontrados. A outra relação com a curta duração do sono é o aumento da GRELINA (hormônio regulador do apetite), que resulta no aumento da  fome e no aumento da ingestão alimentar.
Importância para o Crescimento e Desenvolvimento
     É importante ressaltar que dormir bem é importante para o crescimento, pois é durante o sono  que produzimos o hormônio GH em maior quantidade, responsável pelo crescimento e desenvolvimento, principalmente nas crianças e adolescentes. Crianças que dormem mal têm mais chances de ter problemas no seu desenvolvimento físico, além de estar relacionado a prejuízos no desempenho físico e cognitivo do adolescente, contribuindo para a manifestação de fatores como inatividade física e obesidade. Este hormônio continua sendo liberado na fase adulta, sendo que em doses menores. Por isso a importância de uma boa noite de sono.
 Conheça outras alterações decorrentes de noites mal dormidas: 
Cortisol- Esse hormônio é liberado em situações de estresse e contribui para que a pessoa tenha mau humor depois de uma noite mal dormida.
Sistema de defesa- Durante o descanso, o corpo libera as interleucinas: substâncias que ajudam o organismo a se defender de invasores, como vírus e bactérias.
Metabolismo- É durante o sono que o organismo libera maior quantidade de leptina, o hormônio que controla a sensação de saciedade e mantém as pessoas longe dos ataques à geladeira durante a madrugada.

DORMIR MAL E REPERCUSSÕES NO TREINAMENTO
É mais que comprovado que dormir mal pode trazer inúmeros malefícios aos nosso organismo e também ao nosso treino. Fique atento! 
Como vimos anteriormente, alguns hormônios que favorecem o aumento de massa muscular (anabólicos) são liberados em maior quantidade durante o sono. É o caso do hormônio do crescimento (GH). E não para por ai... Ficar sem dormir libera cortisol em maior quantidade, um hormônio que inibe o ganho de massa muscular (catabólico) e favorece o acúmulo de gordura. A longo prazo, dependendo do nível de exigência do treinamento, é possível que os resultados esperados demorem a aparecer, que ocorra o comprometimento do desempenho e que este quadro colabore para instalação da síndrome do overtraining (-> saiba +) ou  supertreinamento. Já, quando equilibramos o treinamento e os demais hábitos saudáveis o treinamento colabora para um sono de melhor qualidade.
 Assim, aliar hábitos saudáveis (como o sono) e uma prática regular de ATIVIDADE FÍSICA pode contribuir para uma melhor qualidade de vida, promovendo aos praticantes melhoras cardiorrespiratórias, controle do peso, redução da depressão, benefícios físicos e intelectuais. 


Texto por RaphaelPerrier, com colaboração de Anderson Santos e Públio Gomes, personais da MAIS Atividade Física.

Nenhum comentário:

Postar um comentário